quinta-feira, 28 de julho de 2016

A aquisição de um guincho

Quase sete meses sem postagem. Está tudo bem. A luta de ir e vir cuidando dele continua. A rotina continua a mesma. Médico e equipe de enfermagem continuam fazendo suas visitas. As duas escaras estão quase sarando. A cada duas mudamos a posição dele na cama e na parte da tarde o sentamos numa cadeira de roda por duas horas. O que há de novo. Nada e tudo. Nada, porque nada mudou, os remédios continuam os mesmos, continua quatro dias em minha casa e dois cuidando do meu pai, a mesma escala para mim e minhas duas irmãs; dois irmãos meus revezam à noite e os outros que não podem dois pagam uma cuidadora para o período noturno duas vezes por semana. Tudo porque minha mãe está com há alguns meses com uma alergia terrível, sua pele fica muito ressecada e às vezes chega a ferir. Já fez muitos exames e nada é constatado, então devido a situação em que vive, afirmam ser emocional; minha irmã Rose, que tinha problema na coluna, agora está bem pior e assim também se encontram mais dois irmãos. Meu pai engordou demais e a nutricionista já refez os valores nutricionais diários, mas nenhum resultado até agora. O stress, cansaço toma conta e a gente luta para viver mais um dia, e a gente ora para o renovar de forças para mais um dia. Na tentativa de amenizar compramos um guincho para ajudar na locomoção dele para a cadeira de banho e cadeira de rodas. Ainda estamos nos adaptando, mas uma coisa é certa , ajuda muito a diminuir os esforços e preservar nossas colunas. Não há nenhuma reclamação, lamentação ou murmuração no que descrevi. Deus tem nos renovado. Temos reunido uma vez por semana para orar e tem sido como o derramar de um bálsamo em nossas vidas. Apesar das dores físicas, temos experimentado e compartilhado de momentos únicos com nosso pai. Enquanto cuidamos dele cantamos as músicas que ela mais gostava, sabemos que ele não entende e nem temos visto alguma reação, mas é uma forma de apresentarmos nossa gratidão por tudo que ele fez por nós. Na próxima semana completará três anos que ele parou de andar e se alimentar e recebeu a sonda nasal pela primeira vez. Em tudo damos graças a Deus.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Um Natal Feliz

Mais um Natal! Tivemos um Natal muito feliz. Esse ano decidimos que celebraríamos em nossa casa. Moramos numa chácara pequena, mas a casa é grande e o coração imenso. A maior alegria é que meu pai veio. Trouxemos todos os aparelhos, remédios e tudo que lhe proporcionasse conforto. Em princípio ficamos preocupados em levá-lo, pois moro a uma distância de trinta quilômetros, mas foi tudo traquilo, tanto a viagem quanto os dois dias que ficou em casa. Imagine a minha alegria em recebê-lo e mais ainda em ver que ficou muito bem! Dormiu bem, não teve nenhuma crise! Agradeço a Deus pela minha família. Celebramos a ceia em família em memória ao Senhor e depois a ceia natalina, preparada carinhosamente pela minha mãe e com nossa ajuda, fizemos até amigo oculto! Deus na sua imensa grandeza nos deu essa oportunidade, nos alegramos, festejamos e apresentamos a Jesus toda nossa gratidão!

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Mis um neto e um bisneto

Ainda não contei. Em maio meu pai ganhou mais um bisneto. Mesmo sabendo que ele não tem mais a noção disso, apresentamos o Pedro a ele. Talvez a maior significância seja para o Pedro quando crescer. Pedro é meu netinho. Mas uma coisa linda também que aconteceu é que meu pai também foi avô mais uma vez. Em agosto nasceu Rômulo, filho de meu irmão mais novo. São nove netos e três bisnetos. Rômulo também foi apresentado ao avô e  creio que o registro desse momento será muito importante para ele mais tarde.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

É vida que segue...

É vida que segue. Uns dias melhores outros mais tensos, mas Deus nos renova a cada dia e isso é maravilhoso. Outro dia o médico, dr Adriano, esteve em casa fazendo sua visita mensal ao me pai, ele é funcionário da secretaria da saúde do município e atua dentro do programa que assiste acamados. Em sua visita, e pela primeira vez se mostrou triste e desanimado. Conversou com minha mãe e minha irmã sobre o avanço da doença e declarou não haver mais o que fazer nem remédios a receitar. Chegou a dizer sobre a questão do preparo para momentos mais difíceis. A reação da minha mãe foi inesperada: " Alguém se prepara para enfrentar a morte? Ninguém sabe dia nem hora..." e falou muito! Ele ouviu tudo sem dizer palavra. Sabemos que esse momento vai chegar. Alguns que visitaram meu pai e saíram entristecido com a situação achando que meu pai não passaria daquele mês ou até mesmo semana, já partiram, inclusive um tio meu. Temíamos muito por pneumonias e graças a Deus a última foi em fevereiro. Mas a maior dificuldade que enfrentamos agora é a secreção. Ela não vem do pulmão. É tanto que só com a ajuda de um aspirador para dar conta. É preciso atenção vinte e quatro horas, pois há a possibilidade dele não conseguir pôr pra fora e engasgar. Geralmente tem tosse e ele perde o fôlego, fica roxo, é um Deus nos acuda! No começo, chamavámos o nome dele, assoprávamos, mas o médico disse para não fazermos nada, só tomar o pulso. A nossa oração diária continua sendo: Deus use de misericórdia conosco, nos renovando, nos fortalecendo, nos dando saúde para estar com ele enquanto ele precisar de nós.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

minha oração

O coração aperta,
a tristeza invade a alma,
os olhos tomam banho de emoção!
O desejo de saber o que fazer
desfaz-se mediante a razão.
Os ouvidos não querem ouvir o ronco,
os gemidos, os gritos...
É como um pedido de socorro,
será?
Meu Deus! Como pode?
O que sente, o que ouve, o que vê?
Perguntas sem respostas!
Só resta viver o momento,
ao seu lado,
crente que o Todo-Poderoso vê,
ouve e sente.
Esperar de esperança.
A certeza é única,
Deus sabe tudo, Ele é o dono do tempo.
Então é tempo de orar:
Conforta o coração desesperado,
dá sabedoria à mente cansada
renova a força para cuidar,
Aviva a fé para esperar e nunca esmorecer.
Essa é a minha oração hoje!
Bom dia!!!

domingo, 8 de março de 2015

Mais uma ano de vida

Pois é as festas de Natal e Ano Novo passaram e janeiro e fevereiro foram dois meses de grandíssimas lutas com meu pai. As pneumonias foram constantes e huma dessas vezes que levamos ao hospital pude ouvir de um médico: Reze, quem sabe você poder´pa levá-lo para casa. Trouxe meu pai bem melhor graças a Deus. Compramos um colchão pneumático para ajudar por conta das escaras. Realmente é muito bom. E com a correria nem mostrei a festa de aniversário que fizemos para ele. No dia 03 de janeiro ele completou oitenta anos, a família toda reuniu para a agradecera Deus pelos cuidados e força que ele tem derramado sobre cada um de nós. Fizemos um jantar, foi maravilhoso. Minha mãe fez o bolo, pois ela é boleira. Segue as fotos:
















sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Mais um Natal, graças a Deus!

Mais um Natal. A rotina de todos da família é quebrada nessa época, mas a do meu pai, não. Graças a Deus ele está bem, o refluxo diminuiu muito e a pneumonia não voltou mais. Com o calor complica-se um pouco, pois ele transpira demais. São necessárias várias trocas. Voltamos a levá-lo para a sala. Fica na poltrona do papai, que é bem confortável por pelo menos duas horas. Com a impossibilidade de dois dos meus irmãos de dormir à noite com ele, conseguimos uma cuidadora para substituí-los na escala, é uma excelente pessoa. Quando se tem um acamado em casa, o olhar também se volta para outras situações de pessoas acamadas e suas necessidades. Temos tido a oportunidade de ajudar e compartilhar o que já temos aprendido com outras pessoas. Que o Senhor Deus nos ajude a aprender, dividir e compartilhar sempre.